Analytics

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Avaliação da minha peça no Festival de Gramado 2009

Esse ano foi a primeira vez que participei de uma mostra competitiva de Patchwork. Como marinheira de primeira viagem, tudo pra mim foi novidade.
Uma das coisas mais inesperadas foi o recebimento de um relatório com uma avaliação da minha peça. Não é um relatório muito explicadinho, mas mesmo assim acho que é interessante divulgar essa avaliação aqui.





O meu painel concorreu na categoria estreante. Para cada um dos quesitos avaliados podem ser dadas quatro notas: E (excelente), MB (muito bom), B (bom) e PM (precisa melhorar).
São feitos dois julgamentos distintos. O primeiro é o técnico e o segundo é a aparencia geral e design.
Devido a técnica utilizada por mim não foram avaliados os encaixes, aplicações, bordas internas e externas nem o quiltado a mão. No quilt à máquina levei um B. De acordo com a ficha de inscrição os juízes querem ver pontos homogêneos e consistentes, curvas suaves e pontas finas, começos e fins não evidentes, tensão da linha equilibrada, sem franzidos e pregas na frente e atrás, além de ausência de marcações de desenhos.
No quesito quantidade do quiltado ganhei outro B. Para dar essa nota as avaliadoras julgam se o quil foi suficiente e apropriado para o tampo e tipo de manta e a consistência mantida por todo o tampo.


O acabamento foi onde obtive a minha pior nota. Um PM. Foi avaliado se a peça foi bem executada, se a margem externa estava reta, sem ondulações, nem curvas, acabamento plenamente preenchido, largura consistente, pontos firmes e bem feitos, cantos esquadrados e uniformes.
Recebi um MB no quesito técnicas especiais. É nesse ponto que são avaliados os bordados, as pinturas, embelezamentos, uso de miçangas, transfer de fotos, trapunto e outras técnicas elaboradas com capricho, eficiência e uso apropriado, realçando os elementos do desenho.




No julgamento da aprência geral e design foi onde obtive as melhores notas: 3 MB e 1B.
O impacto visual, algo que chame a atenção da peça foi considerado MB.
O design também foi MB. Foram avaliados avaliados desenho, cor, forma, textura e ou valores usados de forma eficiente e que tenha interesse, equilíbrio e que seja bem proporcionado. No disign também é avaliado o quilt artístico. Desing original que expresse uma visão pessoal e/ou impacto emocional, elementos de design usados eficientemente para criar uma composição harmoniosa, com unidade, equilíbrio e variedade, uso de materiais não tradicionais e ou técnicas que realcem o design.
No desenho do quiltado recebi um B. Nesse quesito procura-se um quilt que realce o desenho do tampo e preencha bem os espaços, seja consistente em relação aos elementos do design do tampo.
Na aparencia geral recebi um MB. Nesse quesito é avaliado se o projeto está limpo e bem cuidado, que não pareça usado, sem marcações visíveis, sem pelos de animais, cheiros e manchas. Aqui não se aceitam distorções óbvias ou costuras malfeitas aparentes. É preciso que o painel seja plano e quando for pendurado fique bem reto.


Como comentários recebi apenas um lacônico "atenção na execução do quiltado".
Ponto forte do quilt: Forte impacto visual.


Pelas assinaturas presentes na minha folha de avaliação pude constatar que três juízas avaliaram meu projeto. Os itens que forem circundados são os que precisam de maior atenção. Mas na minha ficha não apareceu nenhum item circundado.


Participar do Festival foi gratificante, como já falei em outra postagem. Essa avaliação foi interessante pra mim pois pude entender como o meu projeto foi recebido pelos juízes, mesmo que não tenha sido uma avaliação detalhada.
Quem desejar participar de uma mostra competitiva de Patchwork e Quilt agora já sabe um pouco do que os juízes avaliam nas peças.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...